Pular para o conteúdo

Quero mudar de área. E agora?

2 de dezembro de 2019

Para muitos brasileiros, a frustração na vida profissional é bastante presente. Confira como contornar isso e traçar o seu verdadeiro caminho profissional.




Segundo estudo do pesquisador Fredy Machado, 40% dos executivos brasileiros está insatisfeito no trabalho e 64% gostaria de fazer algo diferente para ser mais feliz. No entanto, antes de tomar qualquer medida, é necessário se preparar para as consequências.

Segundo Marianna Greca, coordenadora da Formação Complementar do Centro Europeu, há um grande desafio ao considerar fazer a transição de carreira. “Aos 17 anos, nos deparamos com algumas decisões, as quais nem mesmo aos 27 estamos tão certos”, explica. De qualquer forma, somos ensinados a ter paixão pela decisão, mas mesmo assim, podemos nos deparar com uma escolha frustrada, apesar de tantas opções.

Para a especialista, esse mundo de possibilidades nos torna constantemente insatisfeitos e instáveis quanto ao nosso curso profissional e pessoal. “Mudamos de ideia o tempo todo, porque nos foi intitulado o direito de fazê-lo quando conveniente. Isso nos privou de uma linha norteadora à construção, ao invés da dispersão na qual tantas pessoas se encontram”, considera.

Com isso, Marianna acredita na necessidade de utilizar essas experiências de forma edificadora e não como ferramentas de procrastinação. Para ela, é preciso entender e verificar se a carreira atual ou a futura dialoga com seus valores e habilidades. “Vamos construir uma jornada a partir disso, mesmo se isso significar buscar uma nova área de atuação”, conta.

Encontrar um propósito para o seu trabalho sempre foi a vontade do universitário Rubens Lino. Aberto a todas as alternativas, já atuou na área de contábeis, no mundo audiovisual e, agora, está inserido no curso de história. Para ele, nunca foi um problema essas transições.  “Quero ter a oportunidade de contribuir de alguma forma para a sociedade e poder fazer o melhor com o meu potencial”, conta.

Para Solange Coelho, coach e psicóloga do Rio de Janeiro, apesar de ser um processo difícil de lidar com grandes obstáculos e adaptações, o resultado pode ser engrandecedor. “É preciso ter a disposição para promover transformações, é preciso sair da zona de conforto”, ressalta.

Encare essa aventura e busque sua motivação. O Polo torce pelo seu sucesso você!

Fonte: Nube

Comentários

Comentários